A CORRIDA NÃO É SEMPRE PARA O MAIS RÁPIDO...... MAS PARA AQUELE QUE CONTINUA CORRENDO.

segunda-feira, 5 de maio de 2008

RECORDAÇÕES

FRANCISCO LÁZARO

A estreia de Portugal nas Olimpíadas foi um verdadeiro fado. Nos jogos de Estocolmo de (1912)-V da Era moderna -, o dia 14 de Julho amanheceu abrasador. Seis atletas representavam a jovem República - um esgrimista, dois lutadores e três corredores. Francisco Lázaro era o nosso talismã. Nunca perdera uma prova e, numa maratona em Lisboa registara 2h 55m, menos três minutos do que a marca olímpica de Londres (1908). Carpinteiro numa fábrica de carroçarias, terá dito dias antes: «ou ganho ou morro». O prenúncio da morte chegou ao quilómetro 33. A poucos minutos do tiro de partida, colegas surpreeenderam-no a untar o corpo com sebo para se proteger do Sol. Às 13 horas, começou a prova. Sem chapéu, aos 28 km corria a par do sul-africano Kane McArthur, que ganharia o ouro. Cinco quilómetros depois, caiu inanimado e nunca mais recuperou a consciência. No hospital, diagnosticaram-lhe uma meningite. Morreu de madrugada.





Expresso, 3 de Maio de 2008
Até já

Sem comentários:

Publicar um comentário