A CORRIDA NÃO É SEMPRE PARA O MAIS RÁPIDO...... MAS PARA AQUELE QUE CONTINUA CORRENDO.

sábado, 23 de abril de 2016

OS TREINOS

Muito pouco treino de corrida na rua e algum de ginásio com treino de cardio e musculação. Assim vai a minha vida desportiva.




sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

TREINOS DIÁRIOS

Com este frio nem apetece correr no exterior, mesmo assim a tiritar tenho treinado. 

Desde Outubro que cumpro o plano semanal descrito abaixo.

Além destes treinos, tenho continuado a praticar musculação/reforço muscular necessário para a prática da corrida.

Os treinos referidos têm sido assim:

SEG - ginásio
TER - corrida
QUA - ginásio
QUI - corrida
SEX - ginásio
SÀB - corrida
DOM - corrida

Locais de treino:
Corrida - No recinto da feira do Silvado em Odivelas
Reforço muscular - No ginásio do Pavilhão Multiusos de Odivelas 

Neste momento não estou com intenção de participar em  corridas de estrada, mas nunca se sabe, se não pode surgir uma motivação qualquer, que me leve a mudar de opinião.

Treino  com entusiasmo diariamente, tanto pela saúde, como para ter uma boa condição física.

Até amanhã

domingo, 25 de outubro de 2015

UMA AVENTURA NO OUTONO ( Capítulo final )



Saí de casa pelas 6:45 horas, durante o trajecto até Cascais caíam bátegas de água, ia pensando, vai ser uma prova molhada.
Mas não foi isso que aconteceu, não choveu durante o resto da manhã, a não ser uns chuviscos logo no início da Maratona.

Cheguei ao local da partida ainda era de noite, mas já estavam muitos atletas a tirar fotos, na conversa ou nas filas para o WC ou ainda a entregar a roupa num camião que servia de guarda roupa.

A música acompanhava toda esta movimentação de atletas , de amigos e de familiares..

Muitos estrangeiros de diversas nacionalidades, ouvia-se mais a língua francesa.


Dado o tiro de partida a multidão de atletas começou a correr na frente e a andar lá atrás, demorei quase 2 minutos a atravessar a linha de partida.

Demos uma volta pela ruas de Cascais e dirigimo-nos para o início da marginal, grande parte do trajecto foi realizado nessa estrada  junto ao mar.

Os abastecimentos tinham,  garrafas de água, copos com uma bebida isotónica, pacotes de gel, laranjas e bananas (estavam verdes)

No trajecto desta maratona até aos 30 km, poucos grupos  musicais, para uma Maratona com o nome Rock and Roll foi uma tristeza.

Ao longo do percurso poucas pessoas  a assistirem, existiam por vezes grupos de estrangeiros familiares e amigos dos atletas participantes na maratona, portugueses muito poucos.

Pouco motivador e desolador o apoio comparando com outras maratonas.

Enfrentei esta maratona com  à vontade e com receio, Com à vontade porque cumpri quase integralmente o plano de treinos previsto para esta prova, com receio porque nos últimos dois meses voltou uma lesão antiga (tendinite no trapézio) que " acordava " nos treinos longos a partir dos 20 km.

Fui ao fisiatra e estou desde o dia 21 de Setembro a realizar sessões de fisioterapia.

A dor entretanto desapareceu e assim arrisquei a participar, depois de todo o esforço despendido nos treinos de preparação no verão, não os ia "deitar fora"embora tenham servido para me manter em boa forma física .


Quando atingi os 25 km de corrida apareceu novamente a maldita dor que se foi tornando cada vez mais insuportável, a mente parecia que só pensava na dor, ainda aguentei até aos 30 km e tive de abandonar a prova com muita pena minha.


Nesta prova preveni-me levei no cinto 4 embalagens de gel, 4 barras energéticas para não acontecerem os mesmos problemas que surgiram nas maratonas em que participei.

Não apareceram esses problemas apareceu outro, paciência.

A inscrição nesta maratona motivou-me para treinar com mais assiduidade, com mais alegria e variar os tipos de treino.

Vou tentar curar esta lesão, continuando a treinar e a participar em provas mais curtas.

Até à próxima corrida.